Curitiba - PR - Brasil

© 2018 Iris Alessi * Flor de Iris. 

41| 99169-2070

download.png

Desmanchar é preciso


De todos os processos que fazem parte do tricô, desmanchar pode ser o mais doloroso. Porque, no fim, o que queremos mesmo é ter uma peça linda e pronta. Mas nem sempre acertamos o caminho para que o resultado seja igual ao que desejamos. É aí que entra o ato de desmanchar.


Desfazer todo o trabalho feito nunca deve ser a primeira opção de quem tricota. Tipo: “Se não der certo, eu desmancho”. Este ato deve estar como opção para melhorar o trabalho executado. Por isso, antes de pensar em desmanchar é preciso tomar alguns cuidados.


Um deles já foi tema de uma série de posts no blog: Faça amostras. É com elas que você vai ver como vai se comportar o fio, além de ter muito informações importantes antes de começar a tricotar. Leia aqui.


Também é importante pensar na peça como um todo antes de iniciá-la. Se você já tiver ideia de tudo o que a sua peça vai ter, ficar mais fácil de evitar o processo de desmanchar.


Mas se, mesmo tomando todos os cuidados necessários, ainda for preciso, não tenha medo de desfazer tudo o que fez. Isso faz parte do processo de tricotar. Os erros também nos trazem ensinamentos.


Desapegue


Um passo importante para desmanchar o seu tricô sem dó é desapegar-se daquilo que você já fez. Se você pretende desmanchar, é porque tem algo naquilo que não lhe agrada. Então não tem nenhum motivo para não começar de novo.



Quando pensamos em desfazer sempre vem aquela sensação de tempo perdido. Pode até ser que isso seja real, mas imagine terminar algo que você não ama? Algo que levou tanto tempo para ser feito e não te enche de orgulho, que não faz seus olhos brilharem e você dizer com a boca cheia “fui eu que fiz!” Para mim, essa é uma das frases mais emblemáticas de quem trabalha com artesanato.


Imagine que ao desfazer tudo aquilo que está feito, você está se dando a oportunidade de fazer melhor, mais bem feito.


Quanto ao tempo, considere que é um processo de aprendizado. Não é sempre que acertamos, por isso não se cobre tanto pelos erros que possa ter cometido. Aproveite a oportunidade para ver onde pode melhorar; quais processos pode fazer diferente e assim alcançar o resultado desejado.


É sempre bom lembrar que o tricô (manual) é um processo artesanal feito por pessoas e não por máquinas (apesar delas também serem passíveis de erros). Cada ponto é um processo de desenvolvimento para quem o faz.


A vantagem de tricotar é que ao fazemos algo errado temos esta chance de desmanchar e refazer melhor. Não são em todos os aspectos da vida que isso é possível. Se permita errar e mais ainda, se permita fazer melhor.

134 visualizações1 comentário