Como escolher agulhas de tricô (pt 2)

Atualizado: 12 de Out de 2018

Agulhas circulares


Não é segredo para ninguém que as agulhas circulares são as minhas preferidas para tricotar. Elas podem substituir todos os outros tipos de agulhas existentes e ainda facilitam nossa vida na hora de fazer os acabamentos. Afinal, não há nada melhor do que não ter de costurar uma peça.


Porque usar agulhas circulares?


Além de permitirem fazer peças sem costuras (esse benefício já seria suficiente para só usar essas agulhas), as agulhas circulares são ergometricamente mais confortáveis para o corpo. Com elas mexemos poucas partes do corpo e fazemos menos força com os ombros, braços e punho, pois o peso fica no colo, já que o trabalho fica espalhado pelo cabo e não apenas em uma agulha, como nas agulhas retas.


Imagine que você está tricotando uma peça grande na largura, como uma manta com cerca de 200 pontos, quando a peça está mais longa e a carreira é finalizada o peso é grande. Além disso, a chance dos pontos caírem é bem menor, se não for nula quando os pontos foram alocados corretamente no cabo.


Outra grande vantagem é que você não vai perder nenhuma agulha do par quando parar no meio da execução do trabalho. Quem nunca perdeu uma agulha, levanta a mão.


As agulhas circulares também são aliadas de quem gosta de tricotar em todos os cantos. Elas são mais fáceis de transportar que as agulhas retas, pois são flexíveis e podem ser acondicionadas em pequenos espaços.


Como escolher as agulhas circulares?


Agora que você já conhece os benefícios das agulhas circulares, deve estar pensando o que considerar na hora de escolher uma.


Existem alguns detalhes que temos de observar na hora de escolher uma agulha:

- passagem da agulha para o cabo: provavelmente esse é o ponto que faz muitas

pessoas odiarem agulhas circulares. Elas podem tem comprado agulhas com

“emendas” ruins e isso dificultou o feitio do tricô. Algumas agulhas têm um

“degrau” na emenda entre o cabo e a agulha. Esse “degrau” atrapalha a passagem

dos pontos, principalmente na passagem no sentido cabo-agulha. Se você sentir

isso numa agulha, tente comprar uma de qualidade melhor.



- maleabilidade do cabo: quanto mais maleável for o cabo, mais fácil e confortável

será o seu trabalho. Essa característica também ajuda em técnicas mais avançadas

como o laço mágico.



- memória do cabo: assim como a maleabilidade do cabo, não tem memória

também é importante. Os cabos sem memória são aqueles que não ficam

enrolados.



- material: no post anterior, já falei sobre os materiais dos quais as agulhas são

feitas. Então na hora de escolher a agulha circular é só prestar atenção se o

material utilizado é de boa qualidade e se tem bom acabamento.



- tamanho do cabo e da agulha: depois de ter observado todos os quesitos

anteriores, você precisa escolher o comprimento da agulha e o do cabo para

escolher o que melhor se adapta a você. No mercado, há agulhas com

comprimento entre 9 cm (conhecidas como short needles) até 12 cm (que são as

mais comuns). A diferença é o uso delas. Com as agulhas mais curtas, é possível

fazer trabalhos circulares pequenos como gorros sem costura e sem laço mágico.

Quanto aos cabos, eles começam em 20 cm (os cm do cabo se somam aos da

agulha para formar o comprimento total da peça) e vão até 1,20/1,50m

dependendo do fornecedor. Cabos pequenos até 60 cm de tamanho total da

agulha, só são válidos para as agulhas curtas. Se você tentar usar uma agulha de

12 cm com um cabo de 20 cm, ficará inviável tricotar. Eu já testei.


Modelos e marcas


Felizmente, o mercado brasileiro está recebendo ferramentas de primeira qualidade. Infe